O Aviso e profecias relacionadas

O Aviso (de garabandal) é visto como o juízo interior e um fogo (espiritual) que purificará cada um, percebam o significado na Bíblia deste acontecimento:

"Nós somos operários com Deus. Vós, o campo de Deus, o edifício de Deus. ... Agora, se alguém edifica sobre este fundamento, com ouro, ou com prata, ou com pedras preciosas ... O dia (do julgamento) demonstrá-lo-á. Será descoberto pelo fogo; o fogo provará o que vale o trabalho de cada um. Se a construção resistir, o construtor receberá a recompensa. Se pegar fogo, arcará com os danos. Ele será salvo, porém passando de alguma maneira através do fogo." (1Cor 3,9-15)

Vemos então que a purificação com o fogo que de começa a falar Corintios é então um fogo espiritual porque ele diz que nós que somos "campo de Deus, o edifício de Deus" e no qual "o fogo provará o que vale o trabalho de cada um" ou seja, seu templo: "Se a construção resistir, o construtor receberá a recompensa" se resistir a provação pelo fogo a pessoa será recompensada pela promessa que será falada mais adiante.

"Entretanto, virá o dia do Senhor como ladrão. Naquele dia os céus de desfarão com estrondo, os elementos abrasados se dissolverão, e será consumida* a terra com todas as obras que ela contém." (2Pd 3,10)
*nota da Bíblia de Jerusalém: "consumida" (corr.); "descoberta" (grego).

Então vejo que obra no caso é a mesma obra de que fala em Coríntios acima, a obra somos nós e nossas obras ficarão descobertas aos nossos olhos, veremos na mesma visão de Deus elas, e assim seremos purificados pelos pecados (um fogo purificador interno).

Mais sobre o fogo (espiritual) nas profecias do Antigo Testamento, os paralelos foram da Bíblia de Jerusalém:

"E vereis de novo que há uma diferença entre justo e ímpio, entre quem serve a Deus e quem não o serve. Porque eis que vem o dia, ardente como uma fornalha. E todos os soberbos, todos os que cometem o mal serão como a palha; este dia que vai vir os queimará - diz o Senhor dos exércitos - e nada ficará: nem raiz, nem ramos." (Ml 3,18-19)

Ou seja não ficara nem raiz nem ramos de suas soberbas e mal, já que eles verão pelos olhos de Deus seus pecados, se arrependeram, e ainda assim serão purificados. Note o uso da palavra dia na passagem acima e na de baixo.

"Nem sua prata, nem seu ouro poderão salvá-los no dia da cólera do Senhor. Toda a terra será devorada pelo fogo de seu zelo, porque ele aniquilará de repente toda a população da terra." (Sof 1,18)

Será um acontecimento em que ninguém poderá escapar, os mais seguros de si, os ricos, terão idéia da falsa segurança que o cerca.

"Por isso o Senhor Deus dos exércitos fará enfraquecer seus robustos guerreiros, e debaixo de sua glória acender-se-á um fogo como o de um incêndio. A luz de Israel tornar-se-á um fogo e seu Santo, uma chama, para queimar e devorar as suas sarças e seus espinhos em um só dia." (Is 10,16s)

Note novamente a referencia entre o fogo e "dia".

Sarças e espinhos que cresceram nos lugares das flores que tínhamos quando nascemos, Nossa Senhora em Mediugórie insiste para que sejamos flores para a eternidade.

E por fim uma mais conhecida, de Zacarias que mostra o que acontecerá com os sobreviventes do perecimento (extermínio) de acordo com o mesmo capítulo, e confirmado : "Mas farei passar este terço pelo fogo; purificá-lo-ei como se purifica a prata, prová-lo-ei como se prova o ouro. Então ele invocará o meu nome" (Zc 13,9)
Depois de cada um ver os seus pecados na visão de Deus, se arrependerem e serem purificados, os sobreviventes darão glória porque o Senhor se revelou a eles como misericordioso e os salvou da morte:

"Caiu uma décima parte da cidade e pereceram no terremoto sete mil pessoas. As demais, aterrorizadas, deram glória ao Deus do céu." (Ap 11,13) Mil corresponde a um grande número, e o sete é pessoas de todas as categorias.

Segundo algumas profecias cairá fogo do céu, que não tem a ver com o fogo espiritual desse artigo:
Nossa Senhora disse em Akita: "Fogo cairá do céu e exterminará uma grande parte de humanidade, tanto bons como maus"

Disse umas das videntes de Garabandal:

"O Aviso é uma coisa que vem diretamente de Deus. Será visível no mundo inteiro, qualquer que seja o lugar onde alguém se encontre. Será como que a revelação (interior a cada um) dos nossos pecados. Vê-lo-ão e sentirão tanto os crentes quanto os não crentes de todos os países". E mais: "É como uma purificação para o Milagre."

Nossa Senhora em La Salette:

"Então a água e o fogo purificarão a terra e consumirão todas as obras do orgulho dos homens , e tudo será renovado: Deus será servido e glorificado."
Não se descarta que essas obras conforme Pedro: "os elementos abrasados se dissolverão, e será consumida a terra" será também construções materiais que o homem fez que o colocou como orgulhoso e senhor do mundo.

Vejamos agora revelações e interpretações de revelações em dois dominicanos, o fundador da Ordem, S. Domingos e S. Vicente Ferrer (Séc. XIV-XV) célebre pregador popular e taumaturgo. Por ocasião da festa comemorativa de S. Domingos, S. Vicente em seu sermão fala de uma visão do primeiro, ou seja:

"Numa noite em que S. Domingos estava orando numa Igreja e S. Francisco fazendo o mesmo, aos dois apareceu Cristo com três lanças para destruir o mundo. Enquanto os dois fundadores pensavam se não havia algum santo que revogasse a sentença, apareceu de repente a Virgem Maria..."

Ela consegue de Seu Filho que a destruição fosse protelada. Continua S. Vicente:

"Essas três lanças destruidoras são as três grandes tribulações que virão logo sobre o mundo. A primeira é a perseguição do Anticristo; pode se chamar lança porque transpassará todo o mundo. A segunda será a consumação do mundo pelo fogo... A terceira é a sentença judicial de Cristo".

Neste mesmo sermão S. Vicente ainda acrescenta:

"No tempo do Anticristo a Igreja estará como morta. Depois da morte do Anticristo a Igreja será perfeita, porque então todos voltarão à Fé de Cristo".

S. Vicente Ferrer apresenta pois a seguinte sucessão cronológica: Anticristo, fogo e conversão.

Acontece que noutros escritos do santo dominico ele fala candentemente da apostasia que se deflagrou em sua época, no século XV. A monumental carga de paganismo que baixou na Cristandade da Renascença foi indiscutivelmente o início da autodemolição da Igreja anunciada por Paulo VI em 1968.

O que se vê em S. Vicente é que a apostasia que ele corretamente identificou no século XV, deveria trazer o Anticristo sem especificar quando. O santo em sua reflexão pensou em conformidade com o anúncio profético de S. Paulo no seguinte oráculo:

"Que ninguém vos iluda de nenhum modo pois antes que venha a apostasia primeiro e o homem do pecado se revele, o filho da perdição."

Isto disse S. Paulo para tirar da cabeça dos Tessalonissenses que a parusia estava para acontecer logo.

Essa apostasia anunciada por S. Paulo, foi identificada por S. Vicente Ferrer no século XV e ela vem crescendo paulatinamente há mais de cinco séculos. São Vicente Ferrer junto com S. Domingos apresenta esta sucessão cronológica: apostasia, Anticristo, castigo de fogo e renovação da Igreja. Chamo a atenção para isto: o santo não coloca a parusia logo após a morte do Anticristo. Contrariamente a certa exegese errônea, o fim do mundo não vem a toque de caixa com a morte do filho da perdição. Essa exegese foi tornada obsoleta no século XIII com Sto. Tomás de Aquino, que muito lucidamente percebeu isto: como a duração da dominação do Anticristo será de três anos e meio, com sua morte estaria determinada a parusia com antecedência de 1260 dias, o que contradiz palavras de Jesus Cristo de que Ele viria como o ladrão.

Mostro agora para terminar, uma profecia bem atual sobre esse juízo particular que precederá o fogo purificador:

Mensagem de Nossa Senhora nº 2.765
27.11.2006
Queridos filhos, chegará o dia em que o Senhor derramará uma grande graça sobre a humanidade. Todos os homens serão tocados e verão seus erros e pecados. Por um instante os homens verão todos os males praticados e terão consciência do chamado de Deus para uma mudança radical de vida. Aí cada um poderá escolher o caminho a seguir. Ainda não será o fim. A humanidade será melhor com homens e mulheres mais cheios de espiritualidade, mas ainda não estará perfeita. Rezai. Por fim Meu Imaculado Coração triunfará. Eu sou a vossa Mãe e sei o que vem para vós. Tudo isso acontecerá, mas antes a humanidade carregará pesada cruz. Avante com coragem. Esta é a mensagem que hoje vos transmito em nome da Santíssima Trindade. Obrigada por Me terdes permitido reunir-vos aqui por mais uma vez. Eu vos abençôo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém. Ficai em paz.


Data: 22/01/2011

Este artigo foi útil?
Sim Não

Siga o Twitter do site
Envie por email, adicione aos favoitos, imprima e compartilhe com outras redes sociais:
-->

Faça comentários:


  Sobre o site | Mapa do site | Ajude o site | Contato | 2011 - Site Católico e Apostólico Romano. Criado em 2005