Internet e a evangelização inexplorada

Realmente deveríamos dar Graças a Deus, porque Deus permitiu que o homem inventasse a internet. Para nós cristãos crescermos em um ambiente, o mínimo que precisamos é de um pouco de liberdade religiosa. Não precisamos de incentivo do Estado nem de grandes quantias. Assim foi desde a Igreja primitiva em que mesmo perseguidos conseguíamos conquistar o império. Porque a liberdade na internet favoreceria que se espalhe o evangelho? Primeiro, a internet é algo amoral (não faz bem nem mal por si mesma). Assim como lá pode-se espalhar o anti-evangelho, também pode-se também espalhar o evangelho concorda? Disso que falarei.

A internet é temida por regimes autoritários do mundo inteiro, o cristianismo nunca precisou ser autoritário para se espalhar, mesmo nos governos cristãos como na idade média, quem não era batizado (membro da Igreja Católica) conseguia espalhar seu anti-evangelho porque a inquisição não tinha jurisdição sobre os não batizados.

Na internet pessoas com um pouco de imaginação passam do anonimato para um sucesso que supera qualquer revista de banca, e vão a milhões de acessos e são comentadas por quem nem usa internet.

"A internet é a mídia que mais cresce, enquanto os meios tradicionais de mídia têm crescimento singelo ou declínio na sua penetração, a Internet cresce sem parar e em todos os públicos. Até mesmo no seu."
(fonte: http://publicidade.uol.com.br/amidiaquemaiscresce).
Deveríamos pensar melhor antes de abrir um meio caro de comunicação, como o rádio, porque tanto a FM quanto a AM, revistas e meio impresso em geral estão em declínio ao longo desses anos, veja no site indicado anteriormente que a Internet já empatou com as revistas.

O católico sempre possui pouco dinheiro para evangelizar, então abrir uma página ou chegar até alguém por meio de um bate papo é sempre mais barato. Mas as coisas não podem ser fáceis assim, lógico, o desafio então é fazer com que as pessoas da internet cheguem até a página ou chegarmos até a pessoa, este no caso das mídias sociais. Não se trata de modificarmos as linguagens do evangelho, mas sabermos utilizar os meios para chegarmos às pessoas. Não podemos criar coisas agradáveis puramente humanas como falar de amor sem Deus. A mensagem do evangelho não é agradável a ninguém, mas sempre há pontos que atraem as pessoas, porque sobrenaturalmente temos sede de Deus, somos a sua imagem e semelhança. As pessoas querem ler testemunhos. O desafio então é dominar a técnica, criatividade e vontade de evangelizar.

Vamos exemplificar no parágrafos seguintes, o parágrafo acima. Ainda haverá outras formações para explicar melhor.

Se tenho um site ou blog, não devemos nos apresentar sempre do contra, mas explicar porque somos contra, a fé tem intima ligação com a razão então qualquer ponto da doutrina que diverge com o mundo pode ser bem explicado e comparado de que a solução católica é a melhor. Essa ligação com a razão refere-se também ao que o homem naturalmente se inclina, então o porquê a doutrina moral da Igreja conhece bem mais o homem. Se não explico porque sou do contra ou porque a Igreja é melhor, eu ficaria apenas na reclamação (murmuração). Não adianta continuar com o péssimo costume de ficar copiando textos do site vizinho, melhor seria modificar para apresentar de modo legível e atrativo a todos. Ainda tem o sem custo marketing de busca que faz com que o site chegue a milhares de pessoas por meio dos buscadores.

Se utilizarei mídias sociais (orkut, msn, fóruns, facebook e etc...), é necessário que eu vá até as pessoas e não fique esperando que elas cheguem até nós. É idêntico como evangelizar ao vivo. Você também sofre com nãos e se alegra com os sim, pessoas que lêem o que você postou e passam a pensar mais e de forma diferente de antes.

Tem muito católico parado nessas mídias que só utilizam para bater papo com amigo, substituindo a convivência pessoal. Temos que acabar com as acomodações no qual acontecem não só na vida real, mas também na virtual. Lembrando que a evangelização pela internet não substitui a pessoal, uma aprende para a outra, pela internet eu aprendo a argumentar e me dou com diversas situações, pessoalmente ao vivo aprendo a lidar com as pessoas e conhecer melhor a pessoa.

Angelo Farias
Sinaisdostempos.org



Este artigo foi útil?
Sim Não

Envie por email, adicione aos favoitos e compartilhe com outras redes sociais, com esse serviço seguro e conhecido:
Faça comentários:
  Sobre o site | Mapa do site | Ajude o site | Contato | 2011 - Site Católico e Apostólico Romano. Criado em 2005