Carnaval: não podemos apoiar

Porque algumas pessoas que ainda se dizem católica vão ao carnaval e dizem que não faz "tão" mal?

Eles dizem que não faz mal se estiverem curtindo na paz com os amigos: Mas nesse caso estão "fazendo número" e incentivando aos que se perdem a ver o bom número de pessoas la presente para apoiar essa festa pagã. Ora, "curtir" na paz qualquer um la diz que está "curtindo".

Dizem também que sabendo a diferença entre o certo e errado e não pecar, não teria problema, dai continua não apenas apoiando a festa ao fazer número, mas também se enfraquecem ao ver tanta gente com namorado e amigos ("satisfeitas" afetivamente), e ao escutar tantas coisas sem discernimento, aos poucos vai em sua cabeça se questionando o quanto ela poderia se liberalizar mais.

Segundo depoimento de uma pessoa que já foi 13 anos participante do candomblé, os "espíritos" (que sabemos que são demônios) não se manifestam nessa época, ocorrendo o mesmo na umbanda e kardercismo. Ou seja, os demônios vão curtir o carnaval e atentar as pessoas que estão "curtindo", não perdem tempo.

Santa Faustina escreve:
"Nestes dois últimos dias de carnaval conheci um grande acúmulo de castigos e pecados. O Senhor deu-me a conhecer num instante os pecados do mundo inteiro cometidos nestes dias. Desfaleci de terror e, apesar de conhecer toda a profundeza da misericórdia divina, admirei-me que Deus permita que a humanidade exista" (Diário, 926).

E Santa Margarida Maria de Alacoque escreve: "Numa outra vez, no tempo de carnaval, apresentou-se-me, após a santa comunhão, sob a forma de Ecce Homo, carregando a cruz, todo coberto de chagas e ferimentos. O Sangue adorável corria de toda parte, dizendo com voz dolorosamente triste: Não haverá ninguém que tenha piedade de mim e queira compadecer-se e tomar parte na minha dor no lastimoso estado em que me põem os pecadores, sobretudo agora?" (Escritos Espirituais).

Maria Santa Cecília, +1929
Jesus:
“O mundo ofende-me (no carnaval). Os religiosos
esquecem-me... sua piedade é superficial... seu amor,
sem profundeza. Sou tão sensível a um amor desinteressado!”
“Procuro amor. Sou tratado como um ser ausente...
Deixa-me dar-te todo o meu amor. Gosto, tenho necessidade
de dar-me todo inteiro”
.

Maria Pierina de Micheli, 1890 - 1945
Jesus:
“Vês como sofro. E são pouquíssimas as almas que me compreendem. Quanta ingratidão recebo
daqueles mesmos que dizem me amar. Dei ao mundo meu coração como figura visível do meu amor pelos homens. Agora dou minha Face como figura visível da minha dor pelos pecados da humanidade... quero a comunhão reparadora na terça-feira do carnaval”
.

Santa Gertrudes de Helfta, 1302
Durante os três dias do carnaval, Jesus procura descanso
e consolo no coração de Gertrudes, pedindo-lhe
preces, silêncio e penitência pela conversão dos munda-nos. Também durante o carnaval em outro ano, Jesus lhe diz: “Se desejas aliviar minha dor, deves suportar uma dor e colocar-te à minha esquerda”..."meu coração como figura visível do meu amor pelos homens.
Agora dou minha Face como figura visível da minha dor pelos pecados da humanidade... quero a comunhão reparadora na terça-feira do carnaval”
.

Irmã Benigna Consolata Ferrero +1915
Carnaval de 1916: Benigna vê o Coração de Jesus dilacerado e arrastado pela rua uma matilha de cães raivosos.



Este artigo foi útil?
Sim Não

Envie por email, adicione aos favoitos e compartilhe com outras redes sociais, com esse serviço seguro e conhecido:
Faça comentários:
  Sobre o site | Mapa do site | Ajude o site | Contato | 2011 - Site Católico e Apostólico Romano. Criado em 2005