Reencarnação na História do Espiritismo

Reencarnação na História do Espiritismo

    Reencarnação significa a volta da mesma alma humana ( também chamado "espírito") a este mundo, onde vai assumindo corpos sucessivos, a fim de evoluir e progredir espiritualmente até chegar a perfeição.
    Os autores desta doutrina não são unânimes entre si ao explicá-la: uns dizem que o ser humano se reencarna constantemente com o mesmo sexo, outros afirmam variação alternativa; alguns asseveram que a reencarnação tem lugar apenas na Terra, outros a admitem também em outros planetas; uns julgam que é lei geral para todos os espíritos, outros a aceitam apenas para os espíritos muito atrasados ou para os perfeitos, que devem cumprir especial missão na Terra etc.
    Deve-se mesmo registrar que, somente os espíritas dos países latinos, como os do Brasil, aceitam a reencarnação; os anglo-saxões a rejeitam peremptoriamente. Assim, o conhecido espírita Stainton Moses, que foi para o espiritismo inglês o que Allan Kardec foi para o francês, guiado pelos dois espíritos Kabilla e Imperator, pronunciou-se decididamente contra a reencarnação . A razão pela qual os mestres anglo-saxões rejeitam tal tese, é o racismo; com efeito, o espírito de um homem branco poderia encarnar-se em corpo de raça negra - o que é inconcebível aos olhos dos racistas.
    Aliás, o próprio Allan Kardec recebeu mensagens contrárias à reencarnação , como se depreende das passagens seguintes de sua lavra : "De todas as contradições que se notam nas comunicações dos espíritos, uma das mais frisantes é a que diz respeito à reencarnação. Se a reencarnação é uma necessidade da vida eterna, como se explica que nem todos os espíritos a ensinem ?" ( O Livro dos Médiuns, c.27,n 8,p.338).

Fonte : Católicos Perguntam , Estêvão Tavares Bettencourt, OSB, p.153-4.

ÍNDICE:

O Bom Senso e a Lógica Humana desmentem.

A Ciência explica fenômenos atribuídos a este fenômeno.

O que a Bíblia diz sobre isto ?

Uma explicação para os católicos e as 40 negações à doutrina cristã, direta ou indiretamente.

 

--------------------------------------------------------------------------

 

O Bom Senso e a Lógica Humana desmentem.

As desigualdades

               O mais utilizado dos argumentos é o das desigualdades. Se uns nascem aquinhoados (deficientes) física ou psíquicamente, ao passo que outros vêm ao mundo com menos prendas, isto só se pode explicar pelo fato de que uns e outros viveram encarnações, nas quais conseguiram boa ou má sorte...

                Respondemos:

que é gratuito e vão o pressuposto de que todos devem ter começado a existir em iguais condições físicas ou psíquicas. Deus é soberanamente livre para criar quem Ele queira e como o queira. O que a justiça divina implica, é que cada criatura receba as graças necessárias para chegar à plenitude da perfeição; ora, o Senhor, de fato, chama um dos seres humanos à perfeição e lhe oferece os subsídios para atingí-la, conforme a doutrina cristã. O mundo inteiro está cheio de criaturas variegadas entre si; não há duas folhas absolutamente iguais. É precisamente esta variedade que faz a beleza e a harmonia do universo.

E o sofrimento ? ( A lei do Karma)

                Insistem, porém, dizendo: Se ainda se podem entender desigualdades físicas e psíquicas, não se pode admitir que Deus seja autor da infelicidade de muitas criaturas; alguns nascem cegos, outros aleijados, outros mentecaptos, uns ricos, outros pobres... Ora, a desgraça só pode ser explicada pelo fato de que cada criatura nesta vida expia os males que cometeu em outra vida; a lei do Karma ensina que "todo ato mau cometido é uma dívida contraída que deverá ser paga; se não o for nesta existência mesma, será paga na seguinte ou nas seguintes".

                A esta argumentação respondemos:

                - A justiça humana exige que o reú castigado saiba por que é punido ; o bom senso se revolta contra uma punição que não tenha explicação. Para que eu me possa emendar dos erros pelos quais sou punido, devo saber quais foram. Até mesmo o cão que é castigado por ter sujado a casa, é instruído a respeito da falta que cometeu. Notem-se as sábias palavras de Enéias de Gaza ( +520 aproximadamente): "Quando tenho de castigar meu filho ou meu servo... começo por admoestá-los a fim de se lembrarem bem para o futuro e assim poderem evitar recair no mesmo erro. Não deveria Deus, quando envia as mais terríveis punições, instruir aqueles que as sofrem, a respeito do motivo desses castigos ? Poderia Ele tirar-nos inteiramente a recordação de nossos crimes ?... Que proveito se há de esperar da punição se ninguém nos mostrar qual foi a nossa culpa ? Em verdade, semelhante castigo vai contra o que pretende, irrita e leva à revolta" ("Theophrastes",Ed.Migne Grega t.85.302)

                - Observamos também que a lei do Karma reduz o conceito de Deus ao de um juiz ou tirano inexorável; na verdade, Deus é Pai..., o pai que, conforme a parábola do filho pródigo (Lc 15,11-32), perdoa imediatamente ao filho que se mostre arrependido. A lei do Karma induz ao fatalismo e ao mecanismo físico no plano moral.

                - A respeito do sofrimento, a doutrina católica não pode apontar a causa precisa pela qual cada criatura sofre... e sofre tais e tais males; aliás, nenhuma outra crença o pode explicar de maneira cabal. Apenas podemos afirmar, segundo a doutrina católica, que Deus, em seu plano sumamente sábio, não se engana nem comete injustiça; um dia, todos saberemos o porquê dos desígnios do Senhor. Entrementes, pode-se dizer que o sofrimento nem sempre é punição de pecados pessoais, mas é sempre providencial; vem a ser a ocasião de crescimento interior, de tal modo que quem não sofre, se amesquinha ou se fecha no egoísmo; a natureza humana é tal que ela se beneficia enormemente na escola do sofrimento. A justiça de Deus consiste em ministrar a todo homem os subsídios necessários para carregar a sua cruz com grandeza d´alma e generosidade, de modo que adquira méritos.

Fonte de pesquisa: Católicos Perguntam , Estêvão Tavares Bettencourt, OSB, p.154-5. e Revista Católica

Sobre o sofrimento, ler as mesagens de Jesus à Santa Faustina.

A Ciência explica fenômenos atribuídos a este fenômeno.

     E as narrações feitas em sono hipnótico ? (Técnica da Vida Passada)
  
         Dizem que várias pessoas, postas em sono hipnótico, relatam fatos de sua vida passada e, comandadas pelo hipnotizador, chegam mesmo a referir a trama de uma ou mais encarnações anteriores.

            - Todos os relatos obtidos em transe hipnótico como sendo de existências pregressas até hoje, foram reduzidos à qualidade de narrações de fatos vividos pelo próprio narrador na vida presente. Sim, é notório que temos na nossa consciência psicológica apenas 1/8 dos conhecimentos que adquirimos desde a infância; 7/8 ficam latentes no nosso subconsciente ou inconsciente. Ora, colocados em sono hipnótico, perdemos o controle sobre as nossas faculdades e dispomo-nos a obedecer cegamente ao operador. Por conseguinte, se este manda que alguém narre a trama da sua pretensa vida pregressa, tal pessoa associará, de maneira mais ou menos livre e arbitrária, as reminiscências e imagens que guarda em seu subconsciente; constituirá assim, um enredo que surpreenderá os ouvintes e o próprio paciente, mas que nada de novo apresentará, submetido a controle, tal enredo será identificado como a soma de experiências vividas pelo paciente no decorrer mesmo desta vida.
            O mais famoso caso que a propósito se conhece, é o de Bridey Murphy, relatado e comentado no opúsculo "Reencarnação: prós e contras", Escola Mater Ecclesiae, CP 1362, 20001-970 Rio de Janeiro(RJ).

   E os gênios ?

            As pessoas geniais, segundo os reencarnacionistas, seriam os espíritos que se aperfeiçoaram em numerosas encarnações anteriores.

            - Tal explicação é gratuita. Quem observa os gênios, verifica que não nasceram sabendo, mas são pessoas que estudam e pesquisam concentradamente ou sem dispersão. Ora , isto supõe inteligência perspicaz e vontade decidida, mas não supõe encarnações anteriores.

            Quanto às crianças-prodígio pode-se observar o seguinte:
            Muitas vezes as crianças-prodígio são as que aprendem com rapidez e facilidade. Todavia estes predicados se devem à constituição nervosa de tais crianças, de tal modo que raramente elas se tornam pessoas talentosas. Ao contrário, as crianças aparentemente não talentosas, mas  dotadas de natureza calma, aprendem de maneira mais contínua, podendo chegar a ser pessoas de importância ou mesmo geniais.
            Deve-se também observar que as crianças tidas como prodígios em matemática ou em música, são como as demais crianças em outros setores de atividade intelectual. Ora, verifica-se que os prodígios do cálculo são os mais mecânicos que há, pois as máquinas calculadoras os podem reproduzir (sem ter inteligência); às vezes, pessoas pouco prendadas têm extraordinária facilidade para o cálculo - o que mostra que este não é sinal de prodígio nem genialidade. Algo de semelhante se diga em relação aos prodígios musicais.

   O fenômeno da paramnésia ( dejavú)

            Muitas pessoas que vão pela primeira vez a determinado lugar, têm a impressão de já haver estado aí, reconhecendo o ambiente com as suas características. Pergunta-se: como explicar tal fenômeno, dito de paramnésia, senão pela reencarnação ? Em vida pregressa, a pessoa já teria visitado tal lugar. - A propósito podem-se fazer quatro ponderações, que dispensam a reencarnação:

            a) Às vezes, a pessoa não esteve conscientemente no lugar, mas lá esteve inconscientemente; ora o inconsciente (mesmo o de uma criança de colo) colhe impressões e as guarda latentes. Digamos, pois, que uma criança seja levada a uma praça pública ou a um cemitério; trinta anos mais tarde supostamente, essa pessoa volta a tal ambiente; compreende-se que o reconheça imediatamente ... Afirmará conscientemente já ter visitado o lugar - o que será verdade, não, porém, numa encarnação anterior.

            b) Pode acontecer também que a pessoa tenha visto imagens do lugar em fotografias de livros ou filmes - o que leva a crer que já tenha estado no lugar.

            c) Existe também a explicação pela hiperestesia. Há pessoas cujo inconsciente é capaz de ler o inconsciente de outrem, como dito . Ora, se vou ao Japão pela primeira vez e tenho a impressão de já ter estado lá, posso perguntar-me se nunca me achei ao lado de uma pessoa que já tivesse estado no Japão. Caso positivo (o que é plausível), eu terei percebido inconscientemente o que o amigo vira conscientemente e trazia no seu inconsciente.

            d) Acontece também que há muitos objetos semelhantes, de modo que, ao dizermos que já vimos algo, podemos estar confundindo esse algo com algum semelhante. Em suma, há várias explicações para o fenômeno da paramnésia dotadas de base científica; a única destituída de fundamento seria o recurso à reencarnação.

    Aprender é recordar

            Há pessoas que aprendem com tanta facilidade que dão a impressão de estar apenas avivando conhecimentos já adquiridos (no caso... adquiridos em vida pregressa). A respeito, observe-se que a arte de estudar e aprender é uma atividade psicossomática ; está em relação não só com o psíquico do estudioso, mas também com as suas disposições físicas ou corporais; a imbecilidade. a debilidade mental ou idiotice... são conseqüências de lesões do organismos e, em especial, do cérebro. De outro lado, os espíritos ditos mais 'evoluídos' beneficiam-se de disposições orgânicas e fisiológicas que tornam a aprendizagem mais fácil, imediata e intuitiva. Uma alma bem dotada, num corpo sadio, é naturalmente propensa a célere e perspicaz apreensão da verdade.

            Os reencarnacionistas valem-se ainda de outros argumentos para tentar provar a reencarnação. Desses, que menos peso têm do que os anteriores.

Fonte : Católicos Perguntam , Estêvão Tavares Bettencourt, OSB, p.156-8.

Reencarnação nas Sagradas Escrituras - O que a Bíblia diz sobre isto ?

    Dois tópicos vêm especialmente ao caso:

    a) Elias e João Batista . Há quem cite os seguintes textos do Evangelho:

            Lc 1,17: Diz o anjo Gabriel :"(João Batista) seguirá diante dele (o Messias) no espírito e na virtude de Elias"
            Mt 11,14s : "Se quiserdes compreender, ele mesmo (João Batista) é Elias, que deve vir", diz Jesus.

            Estes textos parecem insinuar que João Batista era a reencarnação de Elias. Todavia é de se notar que João Batista declarou peremptoriamente a uma comissão de judeus que o interrogavam a respeito: "Não sou Elias" (Jo 1,21)
              Mais : no monte da Transfiguração apareceram a Jesus, Moisés e Elias (cf Mt 17,3). Ora, naquele tempo João já fora executado por Herodes ou já morrera. Por conseguinte, deveria aparecer a Jesus, João Batista e não Elias, conforme a doutrina da reencarnação, pois esta ensina que, quando o espírito se materializa, sempre se apresenta na forma da última encarnação. - Donde se vê que João Batista não era a reencarnação de Elias .
                Os textos do Evangelho devem ser explicados no sentido de que João Batista havia de desenvolver um papel semelhante ao de Elias : seria destemido e corajoso ao incitar os homens à conversão.

    b) O renascer em Jo 3: Os reencarnacionistas citam, outrossim, a seguinte afirmativa de Jesus: "Se alguém não nascer ánoothen , não poderá entrar no Reino de Deus (Jo 3,3)". A palavra ánoothen pode significar de novo como também do alto. Os espíritas a traduzem por de novo, e assim tentam provar que Jesus ensinou a nascer de novo (em nova encarnação).
Todavia o contexto de Jo 3 mostra bem que o sentido de ánoothen , no caso , é do alto . Jesus incutiu o nascer do alto. Com efeito, Nicodemos, confuso pelo que Jesus dissera, perguntou logo a seguir : "Como pode nascer um homem sendo velho ? Poderá entrar segunda vez no seio de sua mãe e voltar a nascer ?" - Jesus logo dissipou a dúvida, explicando que não se tratava de renascer no sentido biológico, mas sim, de nascer de outro modo, ou seja, pela água e pelo Espírito: "Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito, não poderá entrar no Reino de Deus" (Jo 3,5) Donde se vê que também esta passagem bíblica não prova a reencarnação. Levem-se em conta outrossim, os dizeres de Hb 9,27:

                    "É um fato que os homens devem morrer uma só vez; depois do quê, vem o julgamento". Palavras de São Paulo, inspirado por Deus.

É, pois, inadequada a argumentação bíblica aduzida em favor de reencarnação.

Fonte : Católicos Perguntam , Estêvão Tavares Bettencourt, OSB, p.158-9.

 

Uma explicação para os católicos e as 40 negações à doutrina cristã, direta ou indiretamente.

CATÓLICO E ESPÍRITA ?

O Concílio Vaticano II chamou os leigos a participarem ativamente da vida da Igreja. Através do Decreto Apostolicam Actuositatem pede:

"Grassando na nossa época gravíssimos erros que ameaçam inverter profundamente a religião, este Concílio exorta de coração todos os leigos que assumam mais conscientemente suas responsabilidades na defesa dos princípios cristãos"(AA,6).

Em que pese a doutrina da Igreja, bem como a sua Tradição e o seu Magistério, mostrarem a radical incompatibilidade entre o Cristianismo e o espiritismo, muitos "católicos", fracos na fé e pouco conhecedores da doutrina, teimam em persistir neste sincretismo perigoso. Vão à missa e ao culto espírita, como se isto não fosse proibido pela fé católica.

É preciso ficar bem claro que o espiritismo (bem como suas derivações) contradiz "frontalmente" a doutrina católica em muitos pontos, sendo, portanto, impossível a um católico ser também espírita.

Em 1953, os Bispos do Brasil disseram que o espiritismo é o desvio doutrinário "mais perigoso" para o país, uma vez que "nega não apenas uma ou outra verdade da nossa fé, mas todas elas, tendo, no entanto, a cautela de dizer-se cristão, de modo a deixar , a católicos menos avisados, a impressão erradíssima de ser possível conciliar catolicismo com espiritismo" ( Espiritismo, orientação para os católicos, D.Boaventura Kloppenburg, Ed. Loyola, 5ªed, 1995,pag.11).

Muitas passagens da Bíblia comprovam o que está dito acima. A principal delas é a que está no livro do Deuteronômio:

"Não se ache no meio de ti quem faça passar pelo fogo seu filho ou sua filha [magia negra], nem quem se dê à adivinhação, à astrologia, aos agouros, ao feitichismo, à magia, ao espiritismo, à adivinhação ou à evocação dos mortos, porque o Senhor, teu Deus, abomina aqueles que se dão a essas práticas..." (Deutr 18,9-13).

Essas palavras da Bíblia são muito claras e fortes e não deixam dúvida sobre a proibição "radical" de Deus a todas as formas de ocultismo e busca de poder ou de conhecimento fora da vontade de Deus. E isto é um perigo para a vida cristã, porque "contamina" a alma. Deus "abomina" aqueles que se dão a essas práticas, diz a Palavra de Deus. Abomina quer dizer, detesta, odeia, rejeita. Não consigo imaginar nada pior nesta vida do que uma pessoa ser abominável a Deus, por própria culpa.

O livro do Levítico traz a mesma condenação:

"Não vos dirijais aos espíritas nem aos adivinhos: não os consulteis para que não sejais contaminados por eles" (Lev 19,31).

Essa "contaminação" espiritual é perigosa para o cristão. Por se tratar de um pecado grave, essa prática o coloca sob a influência e dependência do mundo tenebroso dos demônios.

A primeira conseqüência para a pessoa que se dá a essas práticas proibidas, é um "esfriamento" espiritual. Começa a esfriar na fé, deixa a oração, os sacramentos, e torna-se fraco na fé, na esperança e na caridade, até, digamos, morrer espiritualmente.

Se você entra num ambiente espírita, de macumba, candomblé, etc, mesmo que seja apenas por curiosidade, "sem maldade", você está pecando e colocando-se sob o jugo do demônio. Neste assunto, é a "curiosidade" que leva muitos católicos ao pecado.

Sabemos que o demônio pode se fazer presente nesses ambientes, já que a Igreja nos garante que nenhum "espírito" dos mortos anda perambulando pelo mundo e, muito menos "baixando" em lugar algum. Os espíritos que baixam nesses "centros", se baixam, são certamente espíritos malignos.

Repete a Palavra de Deus, pelo livro do Levítico:

"Se alguém se dirigir aos espíritas ou aos adivinhos para fornicar com eles, voltarei o meu rosto contra esse homem..." (Lev 20,6).

Por "adivinhos" devemos entender todas as formas de se buscar o conhecimento de realidades ocultas, conhecer o futuro, etc. Entre essas práticas estão, entre outras, a invocação dos mortos ( necromancia ), a leitura das mãos (quiromancia), a astrologia, os búzios, cartomancia, consultas aos cristais, tarôs, numerologia, etc.

Uma verdade bíblica que todo católico precisa saber, é o que disse São Paulo aos coríntios:

"As coisas que os pagãos sacrificam, sacrificam-nas aos demônios e não a Deus. E eu não quero que tenhais comunhão com os demônios. Não podeis beber ao mesmo tempo o cálice do Senhor e o cálice dos demônios. Não podeis participar ao mesmo tempo da mesa do Senhor e da mesa dos demônios. Ou quereis provocar a ira do Senhor?" (1 Cor 10,20-22).

Qual é o grande ensinamento que esta Palavra nos traz?

Que todo culto que se presta a uma entidade espiritual, é recebido ou por Deus ou por Satanás. Como os pagãos não prestam o seu culto a Deus, então, por exclusão, quem o recebe é o demônio. Daí podermos entender porque Deus abomina aqueles que se dão a essas práticas pagãs já citadas. Neste caso, Deus é rejeitado, é traído. E daí podemos entender também porque o "ambiente" fica propício à presença e manifestação do Mal .

O Antigo Testamento está repleto da "fúria" de Deus para com o seu povo eleito, quando esse povo "prevaricava", isto é, praticava a idolatria. Nessas situações, Deus abandonava o seu povo nas mãos dos seus inimigos, que os vencia nos combates, e muitas vezes os escravizava. O socorro de Deus só chegava depois que o povo se arrependia do mal que praticara . Pela boca do profeta Jeremias o Senhor diz:

"Eu os condenarei pelos males que cometeram, por me haverem abandonado, ofertando incenso a outros deuses e adorando a obra de suas mãos" (Jer 1,16).

"Ó céus, plasmai, tremei de espanto e horror ...

Porque o meu povo cometeu uma grande perversidade: abandonou-me, a mim, fonte de água viva, para cavar cisternas, cisternas fendidas que não retém a água"(Jer 2,11-13).

E o povo de Deus tinha plena consciência de que era a prática da idolatria que atraia sobre ele os castigos:

"Porque decretou o Senhor contra nós todos esses flagelos? Qual é o pecado, qual é o crime que cometemos contra o Senhor nosso Deus? Tu lhe dirás: É que vossos pais me abandonaram - oráculo do Senhor - para correr após outros deuses, rendendo-lhes um culto e diante deles se prosternando. E porque me abandonaram e deixaram de cumprir a minha lei, e porque vós mesmos fizestes pior que vossos pais, cada qual, sem me ouvir, obstinou-se em seguir as más tendências de seus corações. Assim, expulsar-vos-ei desta terra para vos lançar numa terra que não conhecestes, nem vós, nem vossos pais. Lá, dia e noite, rendereis culto aos deuses estranhos, porque eu não vos perdoarei"( Jer16,10-13).

Os Atos dos Apóstolos, escrito por S. Lucas, contam que S. Paulo expulsou um "espírito de adivinhação" de uma moça escrava que, com suas adivinhações dava muito lucro a seus senhores. Disse S. Paulo a esse espírito de adivinhação:

"Ordeno-te em nome de Jesus Cristo que saias dela". "E na mesma hora saiu" (At 16,16-18).

É óbvio que S. Paulo não falara a um "fantasma" ou a algo inexistente, apelando para a autoridade do Nome de Jesus. São Paulo expulsou da escrava um demônio, um espírito de adivinhação que estava na moça e dava-lhe o poder de adivinhar .

Isso muitas vezes ocorre nos centros espíritas e nos terreiros de macumba. O demônio sabe se "transfigurar em anjo de luz" (II Cor 11,14), como nos alerta São Paulo. E muito católico desavisado cai nas suas armadilhas. Como ele é um anjo, embora decaído, conserva os seus poderes superiores aos nossos. Sua inteligência é muito mais perfeita que a dos homens. E ele faz também os seus "milagres". Para conferir isto com a Palavra de Deus, basta ler o que São Paulo fala na carta aos tessalonicenses:

"A manifestação do ímpio será acompanhada, graças ao poder de Satanás, de toda a sorte de portentos, sinais e prodígios enganadores. Ele usará de todas as seduções do mal com aqueles que se perdem, por não terem cultivado o amor à verdade que os teria podido salvar" ( 2 Ts 2,9-10).

O espiritismo nega pelo menos 40 verdades da fé cristã:

1 - Nega o mistério, e ensina que tudo pode ser compreendido e explicado.

2 - Nega a inspiração divina da Bíblia.

3 - Nega o milagre.

4 - Nega a autoridade do Magistério da Igreja.

5 - Nega a infalibilidade do Papa.

6 - Nega a instituição divina da Igreja.

7 - Nega a suficiência da Revelação.

8 - Nega o mistério da Santíssima Trindade.

9 - Nega a existência de um Deus Pessoal e distinto do mundo.

10 - Nega a liberdade de Deus.

11 - Nega a criação a partir do nada.

12- Nega a criação da alma humana por Deus.

13 - Nega a criação do corpo humano.

14 - Nega a união substancial entre o corpo e a alma.

15 - Nega a espiritualidade da alma.

16 - Nega a unidade do gênero humano.

17 - Nega a existência dos anjos.

18 - Nega a existência dos demônios.

19 - Nega a divindade de Jesus.

20 - Nega os milagres de Cristo.

21 - Nega a humanidade de Cristo.

22 - Nega os dogmas de Nossa Senhora (Imaculada Conceição, Virgindade perpétua, Assunção, Maternidade divina).

23 - Nega nossa Redenção por Cristo (é o mais grave! ).

24 - Nega o pecado original.

25 - Nega a graça divina.

26 - Nega a possibilidade do perdão dos pecados.

27 - Nega o valor da vida contemplativa e ascética.

28 - Nega toda a doutrina cristã do sobrenatural.

29 - Nega o valor dos Sacramentos.

30 - Nega a eficácia redentora do Batismo.

31 - Nega a presença real de Cristo na Eucaristia.

32 - Nega o valor da Confissão.

33 - Nega a indissolubilidade do Matrimônio.

34 - Nega a unicidade da vida terrestre.

35 - Nega o juízo particular depois da morte.

36 - Nega a existência do Purgatório.

37 - Nega a existência do Céu.

38 - Nega a existência do Inferno.

39 - Nega a ressurreição da carne.

40 - Nega o juízo final.

Apesar de tudo isso muitos continuam a proclamar que "o espiritismo e o Cristianismo ensinam a mesma coisa..."

Na verdade é o "joio no meio do trigo" (Mt 13,28), que o inimigo semeou na messe do Senhor. Nada como o espiritismo nega tão radicalmente a doutrina católica.

Ouçamos, finalmente, a palavra oficial da nossa Mãe Igreja, que tão bem nos ensina através do Catecismo:

"Todas as formas de adivinhação hão de ser rejeitadas: recurso a Satanás ou aos demônios, evocação dos mortos ou outras práticas que erroneamente se supõem "descobrir" o futuro. A consulta aos horóscopos, a astrologia, a quiromancia (leitura das mãos), a interpretação de presságios e da sorte, os fenômenos de visão (bolas de cristais), o recurso a médiuns escondem uma vontade de poder sobre o tempo, sobre a história e finalmente sobre os homens, ao mesmo tempo que um desejo de ganhar para si os poderes ocultos. Estas práticas contradizem a honra e o respeito que, unidos ao amoroso temor, devemos exclusivamente a Deus" (N° 2116).

"O espiritismo implica freqüentemente práticas de adivinhação ou de magia. Por isso a Igreja adverte os fiéis a evitá-lo" (N° 2117).

Os católicos que se deram a essas práticas condenadas pela Igreja podem e devem abandoná-las com urgência. Devem procurar um sacerdote, fazer uma confissão clara dos seus pecados e prometer a Deus nunca mais se dar a essas práticas.

É preciso também destruir todo material (livros, imagens, gravuras, vestes, etc) usadas e consagradas nesses cultos.

O pecado dessas práticas é contra o primeiro mandamento da Lei de Deus: "Amar a Deus sobre todas as coisas". A gravidade está no fato da pessoa ir buscar poder, fama, dinheiro, consolação, etc, num lugar e numa prática não permitida por Deus e pela Igreja. Isto ofende a Deus.

Essas práticas eram usadas na Mesopotâmia antiga, no Egito, entre os povos de Canaã, enfim, entre os pagãos, e eram terminantemente proibidas por Deus ao seu povo.

Parece que hoje, grande parte do povo, volta ao paganismo e às suas práticas idolátricas. Isto nega o Cristianismo. A Igreja, como Mãe bondosa e cautelosa não quer que os seus filhos se percam.

Ir para seção Nova Era


Data: 23/03/2011

Este artigo foi útil?
Sim Não

Siga o Twitter do site
Envie por email, adicione aos favoitos, imprima e compartilhe com outras redes sociais:
-->

Faça comentários:


  Sobre o site | Mapa do site | Ajude o site | Contato | 2011 - Site Católico e Apostólico Romano. Criado em 2005