Missa no relato de Santo André em 70 D.C.

Santo André, apóstolo, †70


Dia do Santo: 30 de Novembro

*É conservada quase a mesma ortografia do livro original, repare na descrição da Missa.

Quando começou o julgamento, Egeas (governador romano) tinha dito: "Es tu aquele Andre que derruba os templos de nossos deuses, e mete tolices na cabeça dos simples, para que abracem essa religião supersticiosa, contra a qual os imperadores deram ordens as mais severas ?"

André: "Estas ordens foram dadas por imperadores que desconhecem a verdade; desconhecem a Jesus Christo, o Filho de Deus, que veio a este mundo para salvar os homens; são deuses, mas abjetos demonios."

Egeas: "Os judeus crucificaram Jesus Christo justamente por causa desta doutrina"

André: "Ah ! Se conhecesses o mysterio da Cruz e comprendesses quem é Ele, que, Creador de todos os homens, por amor de nós tomou livremente a Cruz sobre si, para nos salvar!"

Egeas: "Livremente não, porque foi processado, preso, condenado e crucificado."

André: "Quem como ele, predisse a morte; quem como ele, predisse o modo por que havia de morrer; quem como ele, depois de morto, resuscita glorioso do sepulcro; quem como ele, disse: "Eu tenho o poder de entregar minha vida e de rehave-la e confirma esta doutrina por fatos inegáveis, morreu porque quis, morreu livremente e a salvação é um fato que se impõe a crença de todos"

Egeas: "É um absurdo ser discipulo de um crucificado"

André: "Se me quiseres ouvir, eu te explicarei este mistério."

Egeas: “A desconhecem ainda os deuses, que morte na cruz não é mistério nenhum, antes vergonha e castigo.”

André: “Uma coisa e outra: um castigo porque pela morte de cruz foi tirada a culpa do peccado; mysterio, porque tornou fato a graça substituiu o castigo e aos fieis é garantida a vida eterna.”

Egeas: “Com estas fatuidades divertirás a quem quizeres; eu, porem te digo: Se não abandonares está religião, se não renderes honra aos deuses, eu te mandarei a flagelação e mesmo a cruz, visto lhe teres tanta veneração.”

André: “O sacrifício que eu dia por dia offereço, não é incenso, não são holocaustos de bois e carneiros, mas é o Cordeiro immaculado, offerecido a Deus vivo e verdadeiro. Os fieis bebem o sangue e comem a carne deste Cordeiro, que não morre e a todos dá vida.”

Egeas: “Como é possível isso ?”

André: “Si quizeres tornar-te meu discípulo, eu t'o explicarei.”

A este convite de graça, Egeas respondeu com ordem de prisão. André foi encarcerado.

No dia seguinte sendo reiteradas as ameaças de morte e prestar culto aos Deuses romanos.

André respondeu ao Governador Egeas: “Meu martyrio tornar-me-á mais agradável a Deus; meu sofrimento pouco tempo durará, ao passo que teu tormento não terá fim”

Pregado na cruz, ficou dois dias nesta posição, edificando a todos os assistentes com os conselhos e orações. Aparecendo ainda com vida no terceiro dia, os fieis quizeram a força liberta-lo do tormento, mas quando puzeram mãos a obra, uma luz intensíssima desceu do céu envolveu o apostolo e depois de meia hora já tinha entregue a alma a Deus. Egeas sabendo de que o tinham sepultado o corpo do Apóstolo, enfureceu-se e pediu a exumação do cadáver. Deus porém castigou-o horrivelmente. Egeas ficou possesso do demônio e morreu em pleno desespero.


"Salve, santa Cruz, tão amada, tão desejada! Tira-me do meio dos homens, e entrega-me ao meu Mestre e Senhor, para que eu de ti receba o que por ti me salvou" (Santo André)

Fonte: Na luz Perpétua, Pe. João Batista Lehmann, 2ª. ed., Editora Lar Católico - Juiz de Fora - Minas Gerais, 1935


Data: 03/05/2011

Este artigo foi útil?
Sim Não

Siga o Twitter do site
Envie por email, adicione aos favoitos, imprima e compartilhe com outras redes sociais:
-->

Faça comentários:


  Sobre o site | Mapa do site | Ajude o site | Contato | 2011 - Site Católico e Apostólico Romano. Criado em 2005