Listagem de itens da destruição do Catolicismo

Um católico não pode ficar indiferente a estas graves questões que põem em risco a sua fé e a sua salvação, sem correr o risco de ouvir, de Nosso Senhor Jesus Cristo, no dia do Juízo Final, a condenação e o castigo por não termos defendido nossa fé, como é nossa mais grave obrigação.

Linguagem:

- a linguagem dos eclesiásticos tornou-se dúbia, abandonando os termos e fórmulas dogmáticas para adotar linguagem social e humana.
- deixaram de falar em transubstanciação - em comunhão - em missa - em sacrifício da missa e adotaram o termo "eucaristia".
- as orações passaram a ser feitas no singular, abandonando o plural majestático próprio para as coisas espirituais.
- a palavra "sacramento" passou a designar coisas diversas, como mistérios, ritos não sacramentais, encontros ecumênicos etc.
- Nosso Senhor nunca mais foi chamado claramente de Deus e seu poder passou a ser atribuído a Deus, como se Jesus fosse apenas um homem.
- A Virgem Maria, chamada apenas de Maria, não é mais a Mãe de Deus, mas apenas a mãe de Jesus, bem ao gosto protestante.
- A Igreja já não é mais o Corpo Místico de Cristo, mas o Povo de Deus.

Dogmas:

- A missa deixa de ser a renovação incruenta do Sacrifício da Cruz para ser apenas banquete e refeição
- O sacerdócio deixa de ser participação no poder de Cristo e passa a ser uma função dentro do Povo de Deus.
- Jesus Cristo sendo apenas um homem, é tratado como um companheiro, amigo, mas não como Deus e Salvador.
- Nossa Senhora é vista como uma mulher qualquer, os dogmas marianos são esquecidos, já não se fala mais em sua Imaculada Conceição, sua Maternidade Divina, muito menos na Mediação de todas as graças, que o Concílio não quis nem mesmo abordar
- A Igreja passa a ser uma agremiação como as demais, aberta ao diálogo e ao ecumenismo, tratando as falsas igrejas no mesmo nível. Não é mais considerada como detentora de toda a Verdade. Já não é mais vista como santificadora, tendo por obrigação levar o Evangelho a todos os povos.

Bíblia:

- Perde-se a noção de infalibilidade da Bíblia. A inspiração divina é mal interpretada, considerada como uma inspiração artística.
- Deus não é mais o autor principal da Bíblia. Ele apenas influencia de longe o escritor humano.
- Os Evangelhos já não são mais considerados como históricos. Adota-se a heresia protestante segundo a qual eles foram escritos pelas comunidades primitivas ao longo dos primeiros séculos. Ensina-se que existe o Cristo da Fé (idealizado) e o Cristo histórico, que ninguém sabe bem como foi.
- Diversos outros erros protestantes são introduzidos no ensino das Sagradas Escrituras.
- Adotam traduções ditas ecumênicas que escamoteiam as verdades de fé que nos separam dos protestantes e judeus.

Moral:

- Adota-se uma moral relativista, que considera que cada época tem princípios diferentes de viver.
- A noção de pecado perde a força, ganhando conotações puramente sociais. Já não se considera a ofensa a Deus.
- A própria noção de moral desaparece das preocupações dos homens de bem. Nada mais pode ser proibido, não há mais limites para a permissividade.
- Altitudes de imoralidade nos costumes passam a ser consideradas normais, sem que os padres corrijam os erros. Nudismo nas ruas, diversões imorais, atitudes indecorosas, namoros excessivos, homossexualismo etc.
- Na moral conjugal já não se considera pecado, ao menos na prática, os atos contra a santidade do casamento. Os métodos contraceptivos são aceitos pelos padres e por muitos bispos, contrariando a doutrina da Igreja.

Sacramentos:

- O batismo já não é mais visto como de extrema urgência e necessidade. Torna-se um rito de admissão ao Povo de Deus. Desaparece a noção de pecado original, o qual, aliás passa a ter um valor puramente simbólico. O rito do batismo perde os exorcismos e o sal bento.
- A Crisma muda de forma o que torna duvidosa a validade deste sacramento. Muitos bispos negligenciam a administração deste sacramento.
- A confissão perde seu valor. Vira um rito comunitário ou, quando muito, uma conversa informal com um padre. É abolido o confessionário, a posição de joelhos. Muitos padres dizem que certos pecados graves já não são mais considerados como pecado.
- A missa nova, além de perder a sacralidade de seus ritos, modifica partes essenciais.
- A missa torna-se uma festa. Tudo é permitido e seria muito longo enumerar os absurdos ainda praticados sob aplausos dos bispos ou mesmo em missas papais. Danças com mulheres semi-nuas, atos políticos, missas sacrílegas onde se consagra com matérias diferentes do pão de trigo e vinho de uva.
- A comunhão é distribuída sacrilegamente, nas mãos. Além do sacrilégio das mãos impuras e não consagradas, a Sagrada Hóstia é levada abusivamente para casa, para a macumba, para missas-negras etc.
- Diminui drasticamente o número de missas celebradas devido ao caráter social da missa nova e às concelebrações.
- A Extrêma-Unção muda de forma sacramental, tornando-se uma simples bênção, sem poder de preparar as almas para a morte. Passa a ser administrada a pessoas que não estejam doentes.
- A Ordem muda também de forma sacramental e seu rito já não exprime a teologia do sacerdócio de Cristo. O padre torna-se um "funcionário", que preside a algumas cerimônias como parte de suas funções. Não se exprime mais o poder sacerdotal próprio da hierarquia.
- O casamento sofre a quase destruição pela prática não coibida do divórcio, do adultério, do sexo precoce. Cresce de modo espantoso os casos de nulidade de casamento, tendo os tribunais eclesiásticos a tendência a declarar nulo qualquer casamento mais ou menos problemático.

Igreja e Ecumenismo

- A Igreja Católica não é mais considerada como sendo a única verdadeira, a única fonte de salvação
- O dogma de nossa fé: "fora da Igreja não há salvação" é posto em dúvida.
- As falsas religiões são consideradas como salvíficas, ou seja, capazes de levar seus membros à salvação.
- Espalham-se ritos ecumênicos com representantes de diversas religiões.
- Muitos protestantes, judeus, islâmicos, são orientados pelos bispos a não mudarem de religião, mesmo quando queriam se tornar católicos.

Seminários e Formação

- Abandonam o ensino de São Tomás de Aquino e dos doutores católicos.
- Passam a ensinar filosofias contrárias ao dogma católico, como o relativismo filosófico, o subjetivismo, a fenomenologia, o socialismo etc.
- Os seminários passam a ser abertos, com presença de moças, sem regime de clausura ou de internato. Muitos homossexuais são admitidos ao sacerdócio.
- Todos os dogmas católicos são subvertidos no ensino dos seminários. Por exemplo: a consagração da missa passa a ser ensinada como "narrativa".
- Editoras e livrarias ditas católicas editam e difundem livros contra a Igreja, como marxismo, tarô, sincretismo religioso etc.
- Os colégios outrora católicos ensinam doutrinas e costumes contrários à fé, destruindo nos corações das crianças o fundamento da religião. Os exemplos são inúmeros e não caberiam nesta lista.

Hierarquia e Conferências Episcopais

- O Vaticano se envolve em grande escândalo onde o Banco do Vaticano aparece ligado à loja maçônica P2.
- O Vaticano recebe e mantém relações com a maçonaria.
- Muitos bispos participam de cerimônias maçônicas.
- É instaurado na Igreja o governo democrático, pelo Sínodo dos Bispos e Conferências Episcopais, contrariando a ordem monárquica de governo instituída por Nosso Senhor.
- As Conferências Episcopais formam centros de manipulação das consciências, forçando a adesão da maioria a seus projetos marxistas e revolucionários.
- O Vaticano inicia uma revisão da noção de papado, de modo a aproximar o governo da Igreja do agrado dos protestantes.

Fonte: Portal Anjo


Data: 04/03/2011

Este artigo foi útil?
Sim Não

Siga o Twitter do site
Envie por email, adicione aos favoitos, imprima e compartilhe com outras redes sociais:
-->

Faça comentários:


  Sobre o site | Mapa do site | Ajude o site | Contato | 2011 - Site Católico e Apostólico Romano. Criado em 2005