Interpretação do Apocalipse de Nossa Senhora ao Pe Gobbi - Parte IV

PARTE IV

Vi então um céu novo e uma nova terra - pois o primeiro céu e a primeira terra se foram, e o mar já não existe (Ap 21,1)

Parte I

1 - A Segunda Vinda de Jesus
2 - A grande tribulação
3 - Tempos fortes da grande tribulação
4 - Abreviação dos tempos da grande tribulação
5 - Sobre João Paulo II

Parte II

6 - A guerra contra a mulher vestida de sol
7 - O dragão vermelho
8 - A primeira besta: A maçonaria
9 - A segunda besta: A franco-maçonaria eclesiástica
10 - A imagem das duas bestas: O anticristo

Parte III

11 - Os sinais dos úlltimos tempos
12 - Batismo de sangue e de fogo
13 - As duas testemunhas fiéis e a conversão dos judeus
14 - A batalha do armagedon
15 - A grande seca e os três dias de trevas

Parte IV

16 - O último sinal
17 - O grande castigo e a purificação final
18 - A primeira ressurreição e a suspenção da morte
19 - A derrota de satanás
20 - O reino messiânico universal e a nova jerusalem

 

16 - O ÚLTIMO SINAL

O quadro escatológico finalmente se completa com a abertura do sétimo selo, precedida pelo soar da sétima trombeta:

Seqüência IV: Trombeta 7 Þ Selo 7

Ap 10, 6-7: "Já não haverá mais tempo! Pelo contrário, nos dias em que se ouvir o sétimo Anjo , quando ele tocar a trombeta, então o mistério de Deus estará consumado , conforme ele anunciou aos seus servos, os profetas"

Ap 11,15.19: E o sétimo Anjo tocou ... O templo de Deus que está no céu se abriu, e apareceu no templo a arca de sua aliança . Houve relâmpagos, vozes, trovões, terremotos e uma grande tempestade de granizo.

É o terceiro ai da agonia apocalíptica e o derradeiro castigo da humanidade, marcados pelos últimos eventos da natureza: estão findos os flagelos que, mesmo colossais e aterradores, não foram ainda suficientes (Ap 16,20) para suprimir as blasfêmias, a impiedade e a descrença (retrato espantoso da dureza dos corações humanos!). É preciso mais: é preciso a intervenção do próprio Deus no espírito humano para apagar toda sombra de pecado, orgulho e ambição; por isso, os céus se abrem para a visão da Arca da Aliança e das hostes celestiais prostrados diante dela, descortinados como revelação universal aos homens dos tempos finais:

Ap 8,1: Quando o Cordeiro abriu o sétimo selo, houve no céu um silêncio durante cerca de meia hora ...

Dn 12, 11: A contar do momento em que tiver sido abolido o sacrifício perpétuo e for instalada a abominação da tribulação, haverá mil duzentos e noventa dias . Bem-aventurado aquele que perseverar, chegando a mil trezentos e trinta e cinco dias.

A pequena diferença de tempo entre os períodos de 1335 e 1290 dias (45 dias) evidencia que a manifestação gloriosa da Segunda Vinda de Cristo será imediata aos tempos do anticristo e corresponde à terrível 'meia hora' após a abertura do sétimo selo, quando deverão ocorrer os últimos eventos do drama escatológico: o sinal da cruz no céu, a purificação final, a primeira ressurreição, a suspensão da morte e o arrebatamento dos ressuscitados e de parte dos sobreviventes da grande tribulação para a glória eterna de Deus, em alma e corpo glorioso. Estes tempos, conforme exaustivas promessas de Nossa Senhora, serão drasticamente abreviados. O último sinal será o evento que inicia a fase derradeira dos tempos finais e da vinda gloriosa de Jesus:

Jo 1,51: "... Vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem ".

Mt 24,30: Então aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem e todas as tribos da terra baterão no peito...

Este 'sinal do Filho do Homem' é a grande cruz luminosa no céu, exposta a todo olhar humano e para glória e júbilo dos justos e para lamentações de todos os ímpios e os impenitentes, os incrédulos e os descrentes, dada por Deus como último desígnio de sua misericórdia para a conversão dos últimos homens. Uma cruz gloriosa, rasgando os céus do ocidente ao oriente, vermelha de sangue e brilhando num mundo desprovido de luz. Uma cruz sem Crucificado, porque a redenção terá finalmente atingido a plenitude da criação e porque Cristo estará prestes a voltar, não na fragilidade de sua natureza humana, mas no esplendor de sua glória divina.

24/12/95 - Neste primeiro Natal, a sua divindade está obscurecida e escondida pela sua humanidade; no seu segundo Natal, a sua humanidade estará velada pelo esplendor de sua divindade.

Esta cruz sem Crucificado é um símbolo de glória e júbilo para os que a receberam em seus ombros e compartilharam, com seus sofrimentos e misérias, a redenção de Cristo; esta cruz sem Crucificado é o gólgota para os impenitentes e incrédulos, diante das palavras de Jesus que ressoam no final dos tempos: " Aquele que não toma a sua cruz e me segue não é digno de mim " (Mt 10,38).

01/04/94 (Sexta-feira Santa) - A Cruz ensangüentada , que hoje contemplais no pranto, será a causa da vossa maior alegria, porque se transformará em uma grande Cruz luminosa. A Cruz luminosa que se estenderá do Oriente ao Ocidente, e aparecerá no céu, será o sinal do retorno de Jesus na glória . A Cruz luminosa do patíbulo transformar-se-á em trono do seu triunfo, porque Jesus virá sobre ela para instaurar o seu Reino glorioso no mundo. A Cruz luminosa , que aparecerá no céu no fim da purificação e da grande tribulação , será a porta que abre o longo e tenebroso sepulcro no qual jaz a humanidade, para conduzi-la ao novo reino de vida, que Jesus trará com o seu glorioso retorno.

Nestes tempos da grande tribulação, quando tantos estão entregues à ação do Maligno e dispostos a serem marcados com o sinal da Besta, a Mãe de Deus convida todos os seus filhos a serem assinalados com o sinal da cruz: a marca daqueles que pertencem a Cristo e nEle esperam a salvação:

13/10/91 - Deixai-vos agora assinalar com o meu selo . Nestes tempos os Anjos de luz percorrem o mundo a assinalar com o sinal da Cruz todos aqueles que fazem parte do meu exército vitorioso.

 

17 - O GRANDE CASTIGO: A PURIFICAÇÃO FINAL

Ap 14,14: Depois disso, olhei: havia uma nuvem branca , e sobre a nuvem alguém sentado, semelhante a um Filho do Homem , com uma coroa na cabeça e nas mãos uma foice afiada.

Lc 21,27: "... E, então verão o Filho do Homem vindo numa nuvem com poder e grande glória . Quando começarem a acontecer estas coisas , erguei-vos e levantai a cabeça, pois está próxima a vossa libertação' .

Nos céus abertos, virá aquele que é chamado de 'Fiel e Verdadeiro' (Ap19,11) porque julga e combate com justiça, montando o cavalo branco do seu divino poder, à frente dos exércitos celestes; virá o Cristo, no esplendor de sua glória, para julgar todos os homens e nações, porque 'da sua boca sai uma espada afiada' (Ap 16,15) e 'seus olhos brilham como fogo' (Ap 16,12).

Ap 14,7: Temei a Deus e tributai-lhe glória, pois chegou a hora do seu juízo ...

A hora do juízo virá pelo fogo do Espírito Santo: fogo de extermínio para os ímpios, fogo de purificação para os justos e tementes a Deus, para renovar a nova criação que irá habitar o novo céu e a nova terra, em substituição ao mundo de então, conspurcado pelo pecado e dilacerado pelo fogo físico de tantos flagelos:

03/07/87 - O Espírito Santo descerá como fogo , mas de maneira diversa de sua primeira vinda: será um fogo que tudo queimará e transformará, que santificará e renovará a terra até os fundamentos . Ele abrirá os corações para uma nova realidade de vida e conduzirá todas as almas (dos eleitos) à plenitude de santidade e de graça.

Ml 3, 19-20: Porque eis que vem o Dia, que queima como um forno . Todos os arrogantes e todos os que praticam a iniquidade serão como palha ... Mas para vós que temeis o meu nome, brilhará o sol de justiça, que tem a cura em seus raios.

28/06/90 - O segundo Pentecostes virá como orvalho sobre o mundo e transformará o deserto num jardim , no qual toda a humanidade correrá, como esposa, ao encontro do seu Senhor, num renovado pacto de amor com Ele. Assim a Santíssima Trindade receberá a sua maior glória e Jesus instaurará o seu glorioso reino de amor entre vós.

22/11/92 - Jesus Cristo é Rei, porque faz parte da sua divina missão reconduzir o universo inteiro à perfeita glorificação do Pai, purificando-o com o fogo abrasador do Espírito Santo, de modo que seja completamente libertado de todo espírito do mal, de toda sombra de pecado , e assim possa abrir-se ao encanto de um novo paraíso terrestre.

Esta purificação será um fenômeno extraordinário, em fases distintas e extremamente rápido (da ordem de minutos) afetando todos os seres humanos, simultaneamente e na condição específica de cada um naquele momento do 'grande dia do Senhor'. Mas será terrível: cada homem será réu de si mesmo, no conhecimento perfeito do estado de sua alma diante de todos os acontecimentos de sua vida, à luz da Verdade Divina! Será, portanto, o juízo particular em vida, diante da Visão de Deus e de Jesus glorioso.

22/05/88 - O Espírito Santo virá ... com o seu divino amor abrirá a porta dos corações e iluminará todas as consciências. Cada homem verá a si próprio no fogo abrasador da Divina Verdade. Será como um pequeno juízo. Depois, Jesus trará o seu Reino Glorioso ao mundo.

02/10/92 - O que acontecerá será uma coisa tão grande, que jamais houve desde o princípio do mundo. Será como um pequeno juízo e cada um verá a própria vida e todas as suas obras na própria luz de Deus.

26/05/96 - O Segundo Pentecostes virá para levar novamente esta humanidade ... à sua plena comunhão de vida com o seu Senhor que a criou, redimiu e salvou. Línguas de fogo miraculosas e espirituais purificarão os corações e as almas de todos, que ver-se-ão a si mesmos na luz de Deus, e serão transpassados pela espada cortante de sua Divina Verdade ... O Segundo Pentecostes queimará com o fogo de seu divino amor os pecados que obscurecem a beleza de vossas almas.

Todos serão plasmados neste fogo purificador que cauterizará todos os pecados, omissões, tibiezas e limitações da alma humana. Esta nova criação, 'provada como se prova o ouro' (Zc 13,9), herdará o novo céu e a nova terra, para a implantação do Reino Messiânico Universal. Após a purificação, chega ao fim o drama escatológico e fecha-se a cortina dos tempos, com a Segunda Vinda do Senhor.

 

18 - A PRIMEIRA RESSURREIÇÃO E A SUSPENSÃO DA MORTE

Além do grande castigo da purificação, outros eventos extraordinários estarão associados ao Dia da Vinda Gloriosa do Senhor e, neste sentido, a primeira ressurreição dos mortos e a suspensão da morte são triunfos decisivos da Parusia:

Ap 20, 4-6: Vi então tronos, e aos que neles se sentaram foi dado poder de julgar. Vi também as vidas daqueles que foram decapitados por causa do testemunho de Jesus e da Palavra de Deus , e dos que não tinham adorado a Besta, nem sua imagem, e nem recebido a marca sobre a fronte e a mão: eles voltaram à vida e reinaram com Cristo durante mil anos . Os outros mortos, contudo, não voltaram à vida, até o término dos mil anos. Esta é a primeira ressurreição . Feliz e santo aquele que participa da primeira ressurreição! Sobre estes a segunda morte não tem poder: eles serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e com ele reinarão mil anos.

1 Ts 4, 16-17: Quando o Senhor, ao sinal dado, à voz do arcanjo e ao som da trombeta divina, descer do céu, então os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro ; em seguida nós, os vivos que estivermos lá, seremos arrebatados com eles nas nuvens para o encontro com o Senhor, nos ares . E assim, estaremos sempre com o Senhor.

Há diferentes aspectos neste tesouro da revelação messiânica; em primeiro lugar, a Parusia impõe um julgamento prévio e parcial da humanidade ('foi dado poder de julgar'), o primeiro julgamento , em contraposição ao Juízo Final, que envolverá toda a humanidade, incluindo-se todos os espíritos decaídos que foram expulsos do céu. Neste juízo inicial, não terão parte os ímpios, porque 'ficarão de fora os cães, os mágicos, os impudicos, os idólatras e todos os que amam ou praticam a mentira'(Ap 22,15); aqueles que não estão inscritos no livro da vida (Ap 20,15) serão julgados e receberão o justo salário (Ap 22,12) somente no fim dos mil anos do Reino Messiânico Universal. Da mesma forma, a primeira ressurreição não inclui todos os justos falecidos, mas somente aqueles que foram martirizados ('decapitados') pelo testemunho da Palavra de Deus ('os outros mortos não voltaram à vida, antes do término dos mil anos').

Os felizes e os santos, que participarão da primeira ressurreição e sobre os quais a morte eterna ('a segunda morte', em contraposição à morte física) não mais poderá prevalecer, são subdivididos em dois grupos principais: (i) os mártires e santos de Deus, imolados por causa da Palavra de Deus e do testemunho que dela tinham prestado (Ap 6,9) ao longo da história da humanidade; (ii) as vítimas da grande tribulação, que não se venderam ao mundo, que não foram seduzidos pelo anticristo e que não se deixaram marcar como criaturas do maligno, salvas para toda a eternidade, porque 'lavaram suas vestes e alvejaram-nas no sangue do Cordeiro' (Ap 7,14). São as duas multidões dos eleitos ressuscitados, com suas vestes brancas (símbolo da alegria triunfante) que serão arrebatados ao céu , para adorar a Deus dia e noite na glória eterna:

Ap 7, 15-17: " Aquele que está sentado no trono estenderá sua tenda sobre eles : nunca mais terão fome, nem sede, e o sol nunca mais os afligirá, nem qualquer calor ardente; pois o Cordeiro que está no meio do trono os apascentará, conduzindo-os até às fontes de água da vida . E Deus enxugará toda lágrima de seus olhos."

Além da primeira ressurreição, a Parusia introduz, no cotidiano geral de todos os sobreviventes da grande tribulação, a extraordinária experiência do arrebatamento, sem a intervenção da morte física, uma vez que, em um mundo sem pecado, a morte torna-se inútil, pois o aguilhão da morte é o pecado (1Ts 15,56). Porém, não se trata ainda da destruição definitiva da morte, porque muitos homens ainda estarão mortos e assim permanecerão até a ressurreição no fim do mundo (segunda ressurreição) que, então, completará o resgate à morte de todos os homens que viveram. Assim, somente no Juízo Final, a morte é destruída para sempre porque o último inimigo a ser destruído será a Morte (1 Cor 15,26).

Assim, os homens da nova humanidade reconciliada plenamente com Deus, após a purificação e transfiguração, serão carne viva mas espiritualizada, inacessível à corrupção, ao mal e ao pecado. No Reino de Maria, não haverá lugar para doenças, guerras, impiedade, injustiças ou quaisquer tipos de violência e, pela graça da morada habitual com Deus, também não haverá lugar para a própria morte. A passagem do paraíso terrestre para os jardins celestes, da carne santificada para o corpo glorioso, deverá ocorrer então instantaneamente, a um leve sopro de Deus, cada um no seu devido tempo (Cor 15,23):

1 Cor 15, 51-52: Eis que vos dou a conhecer um mistério: nem todos morreremos, mas todos seremos transformados . Num instante, num abrir e fechar de olhos , ao som da trombeta final, pois a trombeta tocará, e os mortos ressurgirão incorruptíveis e nós seremos transformados .

O arrebatamento começará imediatamente após a vinda gloriosa de Jesus e muitos sobreviventes da grande tribulação o experimentarão, simultaneamente à multidão dos ressuscitados na primeira ressurreição ('seremos arrebatados com eles nas nuvens para o encontro com o Senhor, nos ares"; 1 Ts 4,17). Os demais eleitos, construtores da nova humanidade no terceiro milênio, formarão o Reino Messiânico Universal ou Reino de Maria.

Ap 21,4: Ele enxugará toda lágrima dos seus olhos, pois nunca mais haverá morte , nem luto, nem clamor, e nem dor haverá mais. Sim! As antigas coisas se foram !"

 

19 - A DERROTA DE SATANÁS

A derrota final de satanás está diretamente relacionada à ação da Mulher vestida de sol e se insere no contexto de um contínuo e gigantesco combate entre as forças do bem e do mal que se trava no domínio espiritual, envolvendo os anjos e os demônios e a humanidade inteira, desde períodos imemoriais (Ap 12, 7-9); é uma luta tremenda e incessante entre os espíritos fiéis ao Criador e os sequazes de satanás, desencadeada pelo orgulho e soberba de Lúcifer em ser maior do que Deus. Expulsos do paraíso e precipitados no inferno, os demônios atuam sobre a humanidade, buscando prostrá-la sob o jugo do ódio, da violência, das guerras, do egoísmo, do prazer, da soberba e da apostasia. Este combate sobrenatural foi confirmado pela célebre revelação do século de provações contida na visão do Papa Leão XIII (1878-1903), de que satanás teria sido liberado do inferno para submeter a Igreja à prova, com o intuito de destruí-la completamente e perverter toda a humanidade. Em se aproximando o fim deste período sem conseguir seu intento, satanás estremece de fúria contra Deus e os homens e intensifica ao extremo todas as suas iniqüidades. Assim, torna-se particularmente ativa a atuação dos anjos junto às criaturas humanas:

02/10/92 - Este último período da purificação e da grande tribulação corresponde a uma forte e particular manifestação dos Anjos do Senhor ... Entrastes na fase mais dolorosa e difícil da batalha entre os espíritos do bem e do mal, entre os anjos e os demônios . É uma luta terrível que se desenvolve ao vosso redor e acima de vós. Vós, pobres criaturas terrenas, estais envolvidos nessa luta ...

Aos anjos do Senhor está destinada a missão de anunciar a todos os justos os tempos da libertação e do fim de todas as iniqüidades impostas à humanidade particularmente ao longo deste século de provações.

02/10/92 - ... estes são os tempos em que se deve fazer ainda mais forte e contínua a ação dos vossos Anjos da Guarda ... a eles (aos Anjos do Senhor ) está reservada a tarefa de dar-vos o anúncio tão esperado da vossa próxima libertação .

Nossa Senhora ratifica o texto bíblico (Ap 14, 6-13) sobre os três anjos que anunciam a hora do julgamento final, em três anúncios sucessivos que proclamam que a hora do juízo acontecerá após a derrota de satanás e de todo espírito diabólico, que os justos herdarão os novos céu e terra e que os ímpios e incrédulos, assinalados com a marca da Besta, beberão o cálice da ira de Deus e serão atormentados com fogo e enxofre pelos séculos sem fim.

Mt 24,31: Ele enviará os seus anjos que, ao som da grande trombeta, reunirão os seus eleitos dos quatro ventos, de uma até a outra extremidade do céu.

02/10/92 - Todos os demônios e espíritos dos condenados que nestes anos se espalharam por toda parte do mundo , para a ruína e condenação das almas, serão precipitados no inferno , de onde saíram, e não mais poderão causar dano. Todo o poder de satanás será destruído ... A vossa libertação coincidirá sobretudo com o prêmio concedido a todos aqueles que, na grande prova, se mantiveram fiéis ...

A completa libertação de todo mal e pecado implica o triunfo do Imaculado Coração de Maria e a sua vitória final sobre satanás e seus sequazes, através dos eventos inseridos no âmbito do primeiro combate escatológico.

Ap 19, 20-21: A besta, porém, foi capturada juntamente com o falso profeta , o qual, a serviço da Besta, tinha realizado sinais com que seduzira os que haviam recebido a marca da Besta e adorado a sua imagem: ambos foram lançados vivos no lago de fogo, que arde com enxofre . Os outros foram mortos pela espada que saía da boca do Cavaleiro . E as aves todas se fartaram com as suas carnes.

07/10/92 - A minha vitória se cumprirá quando satanás, com o seu poderoso exército de todos os espíritos infernais, for preso dentro do seu reino de trevas e de morte ... Para isso deve descer do céu um Anjo , a quem é dada a chave do Abismo e uma corrente com a qual amarrará o grande dragão, a antiga serpente, satanás, com todos os seus seguidores ... Eu sou a Rainha dos Anjos porque faz parte do meu próprio desígnio ser enviada pelo Senhor para executar a maior e mais importante missão de vencer satanás .

Um Anjo é um mensageiro destinado a realizar, em nome de Deus, uma missão particular. Nossa Senhora revela ser ela própria, como Rainha dos Anjos que é e como preanunciada, desde o princípio, como inimiga da serpente e como aquela que há de esmagar-lhe a cabeça, a enviada de Deus para destruir o poder de satanás sobre o mundo e encarcerá-lo no inferno, com todos os seus seguidores. A Ela é confiada a chave que pode abrir e fechar a porta do Abismo; a chave é o símbolo do poder daquele que é senhor de um lugar que lhe pertence; assim, a chave pertence a Jesus, Senhor e Rei do universo, ou seja, do céu , da terra e do abismo.

07/10/92 - Somente o Meu Filho Jesus possui a chave do abismo ... que abre e ninguém fecha, que fecha e ninguém abre ... Jesus entrega esta chave, que representa o seu divino poder, nas minhas mãos ...

A chave é confiada a Nossa Senhora como Mãe, Medianeira e Co-Redentora da humanidade. A vitória sobre satanás será obtida com a corrente do Santo Rosário , a corrente com a qual o grande dragão será amarrado.

794/92 - A corrente do Santo Rosário tem, antes de tudo, a função de limitar a ação do meu adversário ... tem também o efeito de aprisionar satanás , isto é, tornar impotente a sua ação e diminuir e enfraquecer sempre mais a força de seu diabólico poder ... obtém, enfim, o resultado de tornar satanás completamente inofensivo.

Assim, os poderes diabólicos serão destruídos através da oração do Santo Rosário, a extraordinária arma de combate dada aos homens para vencer satanás; satanás será amarrado e, juntamente com todos os espíritos malignos, será lançado no "lago de fogo e enxofre". A porta do abismo será, então, fechada por Nossa Senhora, com a chave do poder que Cristo tem sobre todo o universo e também sobre o abismo. O domínio do mal sobre a humanidade será destruído e nenhum espírito maligno poderá sair para o mundo para perverter as almas. Serão os tempos da libertação e do Reino de Maria.

Ap 20,1-3: Vi então um Anjo descer do céu, trazendo na mão a chave do Abismo e uma grande corrente . Ele agarrou o Dragão, a antiga Serpente - que é o Diabo, Satanás - , acorrentou-o por mil anos e o atirou dentro do abismo , fechando-o e lacrando-o com um selo para que não seduzisse mais as nações até que os mil anos estivessem terminados.

 

20 - O REINO MESSIÂNICO UNIVERSAL E A NOVA JERUSALÉM

Todas as manifestações proféticas contidas nos textos bíblicos ou outras mensagens celestes convergem integralmente para um cenário messiânico universal, associado ao retorno glorioso de Jesus e à implantação do seu reino na terra.

13/10/92 - Levantai, portanto, os olhos para o céu, meus prediletos e filhos a mim consagrados, porque sobre nuvens luminosas virá o meu filho Jesus, no esplendor de sua glória, para instaurar entre vós o seu Reino de amor, de santidade, de justiça e de paz .

O reino messiânico universal será um reino de um novo céu e de uma nova terra, regido pela nova criação, uma humanidade completamente renovada pela grande purificação:

Ap 21,1: Vi então um céu novo e uma nova terra - pois o primeiro céu e a primeira terra se foram, e o mar já não existe.

24/06/97 - Quando Jesus retornar na sua glória divina e aparecer a toda a humanidade, cada um será chamado a passar pela mesma experiência que Pedro, João e Tiago tiveram sobre o monte Tabor . Porque Jesus se manifestará no seu fulgor e a sua humanidade será completamente transfigurada pela luz fulgidíssima da sua divindade.

O reino de Deus na terra será de uma paz perpétua, de grande santidade, da nova Páscoa dos novos tempos:

01/01/93 - No final, depois do tempo da grande prova, vos espera o tempo da grande paz, da grande alegria, da grande santidade, do maior triunfo de Deus no meio de vós.

11/04/93 - Em breve, também ela (a humanidade) sairá deste seu imenso sepulcro, para viver a Páscoa dos tempos novos , quando Jesus retornará na glória para instaurar o seu reino de amor e de vida ... É a Páscoa que vos espera no final do tenebroso período de purificação e da grande tribulação que agora estais vivendo.

O reino de Deus será, principalmente, o reino de uma Igreja Triunfante, também acrisolada e purificada pelo fogo do Espirito Santo:

22/05/83 - Dai-nos, ó Espírito de Amor, uma Igreja fiel ao Evangelho, anunciadora da verdade e resplandecente de grande santidade. Dai-nos, ó Espírito de Amor, uma Igreja humilde, evangélica, pobre, casta e misericordiosa . Com o vosso fogo divino, queimai o que nela há de imperfeito; tornai-a despojada de tantos meios humanos de poder; libertai-a dos compromissos com o mundo em que vive e que ela deve salvar; fazei com que saia completamente renovada de sua purificação, sempre mais bela, sem mancha e sem ruga, à imitação de Maria, sua Mãe Imaculada e vossa Amadíssima Esposa.

O Reino Messiânico Universal será o paraíso ligado à terra, com Deus reinando, ao mesmo tempo, entre as almas da terra e as almas do céu. É o triunfo supremo de Deus em cada coração humano, no qual a divina vontade será cumprida de maneira perfeita, assim na terra como no céu. O retorno de Jesus na glória propiciará esta reconciliação, a plena interação do Pai com toda a criação na nova terra, plasmada como morada habitual de Deus com os homens através da nova Jerusalém descida dos céus (em substituição à antiga, porque todas as coisas serão renovadas).

1 Cor, 2,9: ... o que os olhos não viram, os ouvidos não ouviram e o coração do homem não percebeu, isso Deus preparou para aqueles que o amam .

Ap 21, 2-3: Vi também descer do céu, de junto de Deus, a Cidade Santa, uma Jerusalém nova , pronta como uma esposa que se enfeitou para seu marido. Nisto, ouvi uma voz forte que, do trono, dizia: "Eis a tenda de Deus com os homens. Ele habitará com eles; eles serão o seu povo e ele, Deus-com-eles, será o seu Deus."

08/12/92 - A cidade pecadora terá então desaparecido e assim toda a criação abrir-se-á para acolher a Cidade Santa, a nova Jerusalém, a morada habitual de Deus com os homens .

A Jerusalém messiânica é a própria glória de Deus manifestada aos eleitos (Ap 21,9 - 22,5), é a obra prima dos templos da terra em todos os tempos:

08/12/92 - A luz desta Cidade Santa é o próprio esplendor do Pai; o sol que a aquece é o Cordeiro Imolado , de cujo coração saem raios ardentes de fogo e de amor ; a respiração é o sopro do Espírito Santo , que dá a vida e move todas as criaturas para o seu canto de glória e de celestiais harmonias.

Ap 22, 17.20: O Espírito Santo e a Esposa (Igreja) dizem: " Vem !" Que aquele que ouve diga também: " Vem !" ... Aquele que atesta estas coisas, diz : " Sim, venho muito em breve !" Amém! Vem, Senhor Jesus !

O Reino Messiânico Universal ou Reino de Maria deverá se estender por mil anos (Ap 20,6), sendo que para o Senhor, um dia é como mil anos e mil anos como um dia (2 Pd 3,8), ao fim dos quais, satanás será libertado por algum tempo (Ap 20,7) para a consumação do segundo combate escatológico, nos tempos finais do julgamento das nações, do fim do mundo e do Juízo Final.

Dilson Kutscher site, E Tudo Vos Foi Revelado: www.anjo.adm.br/mariano


Data: 12/03/2011

Este artigo foi útil?
Sim Não

Siga o Twitter do site
Envie por email, adicione aos favoitos, imprima e compartilhe com outras redes sociais:
-->

Faça comentários:


  Sobre o site | Mapa do site | Ajude o site | Contato | 2011 - Site Católico e Apostólico Romano. Criado em 2005